O aproveitamento de área do Castanhão se dará em regime de concessão para a instalação e operação de sistemas de geração de energia elétrica fotovoltaica

Secretário Francisco Teixeira fala sobre a situação hídrica no Ceará em live no Instagram

31/03/2020

Na tarde desta terça-feira (31), o secretário dos recursos hídricos do Ceará, Francisco Teixeira, participou de uma live no perfil da Cagece no Instagram (@oficialcagece) para falar sobre a situação hídrica do estado, o atual cenário dos reservatórios após os primeiros meses da quadra chuvosa e o trabalho da Secretaria de Recursos Hídricos (SRH) durante o período de quarentena no estado.

A jornalista Renata Nunes, da Assessoria de Comunicação da Cagece, começou a live com a pergunta sobre a atual situação hídrica. Teixeira explicou que, conforme previsto pela Funceme, os meses de janeiro, fevereiro e março já registraram chuvas acima da média, o que isso significa aporte mais significativo nos reservatórios desde 2011. Segundo Teixeira, as precipitações têm sido boas nos últimos meses e suficientes para garantir o abastecimento no estado.

“Hoje estamos com 27% de aporte das nossas reservas hídricas, mas é claro que abaixo de 30% ainda é uma situação de muita atenção. Nós queremos que as reservas passem dos 50% para que a gente possa ter um conforto maior, mas as chuvas desse ano têm sido bastante generosas e tem chovido em regiões muito secas, como no sertão de Crateús, no Alto Jaguaribe, onde não chovia bem desde 2009. Portanto, em boa parte do estado as reservas hídricas já estão garantidas para os próximos anos”, disse.

O secretário pontuou, no entanto, que em regiões como o sertão central, por exemplo, as chuvas ainda não têm sido suficientes para recargas significativas nos reservatórios, como o açude Banabuiú, que ainda não apresentou uma boa recarga. Além disso, Teixeira, falou sobre o trabalho que os órgãos ligados a SRH, como a Cagece, Funceme, Sohidra, Cogerh, Defesa Civil, têm feito para garantir a continuidade dos serviços durante este período de quarentena decretado pelo governador Camilo Santana como forma de prevenção ao coronavírus.

“Esse grupo vem trabalhando de forma sistemática e por conta do trabalho desses órgãos nós temos conseguido evitar o colapso hídrico de água no interior do estado e também em Fortaleza ao longo de cerca de oito anos de seca. E esse trabalho continua mesmo em quarentena. Temos trabalhadores desses órgãos em campo desenvolvendo algumas atividades. Num momento tão crítico como esse em que as pessoas precisam até de mais água para higienização no combate ao coronavírus é muito importante trabalhos como o da Cagece e da Cogerh”, comentou.

Teixeira falou ainda sobre o aporte no açude Castanhão e Orós, principais reservatórios do estado, que têm recebido aumento no volume após as chuvas registradas na região do Cariri e afirmou que a expectativa é que a reserva hídrica nesses açudes seja maior no próximo mês de abril. Ao final, Teixeira reiterou a necessidade do consumo responsável durante o período de quarentena e recomendou que as pessoas sigam as determinações do Governo do Ceará de isolamento social e cuidados durante a pandemia.