Responsabilidade Ambiental

A promoção de soluções em saneamento básico com sustentabilidade ambiental está presente no Planejamento Estratégico da Cagece. A empresa possui uma política ambiental dirigida ao fomento de ações alinhadas às diretrizes ambientais das políticas públicas de âmbito federal, estadual e municipal, especificamente na observância do arcabouço normativo que envolve o setor de saneamento. Confira as ações da companhia na área de Responsabilidade Ambiental.

Agenda Ambiental na Administração Pública – A3P

A Agenda Ambiental na Administração Pública – A3P é um programa criado pelo Ministério do Meio Ambiente, em 1999, que visa estimular a adoção de critérios socioambientais na gestão de órgãos públicos. A ideia é minimizar e ou eliminar impactos das práticas administrativas e operacionais no Meio Ambiente por meio de ações que podem ser desenvolvidas em eixos temáticos.

A companhia aderiu ao programa em 2010 e o Comitê A3P da Cagece realizou ações até 2014, sendo renovado no ano de 2018 por meio da Gerência de Meio Ambiente (Gemam). As ações da agenda são discutidas e acompanhadas pelo Comitê A3P, composto por representantes de áreas estratégicas da empresa. A Cagece buscar implementar ações em todos os eixos temáticos, com ênfase nos eixos Uso Racional dos Recursos Naturais e Bens Públicos e Gerenciamento de Resíduos Sólidos.

Coleta seletiva

A Cagece vem ao longo dos anos implementando a Coleta Seletiva em suas instalações. O objetivo é efetivar, em todas as unidades da companhia, a ação de segregação e destinação de materiais recicláveis às cooperativas e associações de catadores atuantes no estado.

Para garantir o acondicionamento correto dos resíduos, a companhia mantém no prédio do Pici e nas Estações de Tratamento de ÁGUA (ETAs) Gavião e Oeste as Ilhas Ecológicas, que são locais de armazenamento temporário para os resíduos de metal, vidro, plástico e papel. No período entre 2015 a 2019 foram coletados e destinados aproximadamente 25.513 kg de resíduos recicláveis das unidades Sede, Pici e ETA Gavião.

Planta solar fotovoltaica

O Ceará é uma das regiões do Brasil com ótimas condições climáticas para o investimento em energia solar. No intuito de priorizar energia limpa e renovável e ainda reduzir custos de consumo de energia elétrica em suas instalações, a Cagece, por meio da Gerência de Desenvolvimento Operacional (Gdope), foi a primeira empresa do setor de saneamento da região Nordeste a fazer parte de um projeto de geração de energia alternativa.

A companhia instalou 270 placas fotovoltaicas no prédio anexo à sede. Só em 2019 foram gerados um total de 77.817,60 Kwh, o que trouxe uma economia de R$ 28.970,45 para o mesmo período. Já em 2020, até o mês de julho, a planta gerou 52.724,60 Kwh, com economia de R$ 15.744,06. A diversificação da matriz energética da empresa é uma ação muito importante, tendo em vista que a energia elétrica é a segunda maior da companhia.

Com a ação de aproveitamento da luz solar, a Cagece também contribui para a redução do desmatamento e da emissão de CO2. A planta gerou uma redução de emissão de CO2 de 129.936,40 KWh em 2019, e de 130.540,30 no primeiro semestre de 2020. A redução da emissão de CO2 desde o início da ação equivale à redução do desmatamento na ordem de 7.180 árvores.

Produção de mudas de espécies nativas

A Cagece, por meio da Unidade de Negócio da Bacia da Serra da Ibiapaba – UNBSI, desenvolve, desde 2014, a compostagem de lodo gerado na Estação de Tratamento de Água (ETA) Jaburu, em Tianguá.

O composto produzido a partir do lodo da Estação de Tratamento de Rejeito Gerado (ETRG) da ETA Jaburu é usado para o cultivo de mudas nativas em um viveiro florestal de 192 m² com capacidade estimada para receber 50.000 mudas.

A ação de produção de mudas a partir da compostagem do lodo beneficia as estações de tratamento da companhia. Já foram arborizadas estações operadas nas cidades de Graça, Pacujá, Pires Ferreira, Mucambo e Croatá da Serra. Na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Croatá da Serra foi possível o reflorestamento de uma área de 2.500 m² e a implantação de uma cortina verde utilizando mudas de quatro espécies nativas.

A Cagece, por meio da sua unidade de negócio, também promove doação de mudas a prefeituras e lideranças comunitárias com intuito de arborização e reflorestamento de áreas públicas. Só no primeiro semestre de 2020, foram doadas 500 mudas para o poder público municipal de Guaraciaba do Norte e Graça, além de 480 mudas destinadas ao reflorestamento de trecho das margens do Rio Jaburu, no município de Ibiapina.

 

Atividades de educação ambiental também são desenvolvidas no local. A UNBSI promove visitas guiadas à área do viveiro de mudas e área de rustificação. Desde de 2019, os visitantes também podem percorrer uma trilha ecológica de aproximadamente um quilômetro de extensão, contemplando uma paisagem repleta de árvores nativas, como Ipê, Jatobá, Gameleira, Ameixa Silvestre, Pau Marfim, Murici, Birindiba, Espinheiro, Faveira, Mucunã.

Representação em conselhos e comitês ambientais

A Responsabilidade Socioambiental e Gestão Ambiental fazem parte do trabalho desenvolvido pela Companhia. Assim, a Cagece, no intuito de manter o desenvolvimento contínuo de seus serviços perante as questões ambientais e a sociedade, está presente nas discussões e faz parte das soluções dos seguintes conselhos e comitês:

 

Conselho Estadual de Meio Ambiente – COEMA;
Conselho Municipal de Meio Ambiente de Fortaleza – COMAM;
Conselho Gestor do Parque Estadual do Cocó;
Conselho Gestor da Área de Relevante Interesse Ecológico do Sítio Curió;
Conselho Gestor da APA da Serra de Baturité
Conselho Gestor da APA do Rio Pacoti
Conselho Gestor da APA Dunas de Lagoinha
Conselho Gestor da APA do Estuário do Rio Curú

Conselho Gestor da APA do Parque Botânico do Ceará
Conselho Gestor da APA do Rio Ceará
Conselho Gestor da APA das Dunas de Paracurú
Conselho Gestor da APA do Estuário do Rio Mundaú
Conselho Gestor do Refúgio de Vida Silvestre do Periquito Cara-Suja
Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica;
Comitê Gestor do Programa Sele Município Verde – PSMV