Página Inicial Institucional Comunicação Notícias Cagece realiza controle rigoroso da qualidade da água distribuída

Cagece realiza controle rigoroso da qualidade da água distribuída

Criado em Segunda, 14 Janeiro 2013 13:22
Cagece realiza controle rigoroso da qualidade da água distribuída Google Imagens

Diariamente são realizadas análises em seis parâmetros de qualidade da água. São cerca de 165 laboratórios da Cagece em todo o Ceará.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 25 milhões de pessoas no mundo morrem por ano devido a doenças transmitidas pela água. Doenças como gastroenterite, diarreia, doenças cardíacas, escabiose, cólera, conjuntivite bacteriana aguda, entre outras, podem ser causadas pela falta de limpeza e higiene com a água.

A Cagece realiza análises e controle da qualidade periódicas da água distribuída, permitindo que o produto que chega às residências possa ser bebido diretamente da torneira sem problemas.

Ao todo, mais de 100 parâmetros são analisados pela Companhia, dos quais, seis são analisados diariamente: cloro residual livre, turbidez, cor, flúor, coliformes totais e escherichia coli. A observação da quantidade de nitrato, agrotóxicos e cianobactérias também é observada pela equipe de controle de qualidade. Vale lembrar que a Cagece segue todas as exigências da Portaria 2.914 do Ministério da Saúde.

Para garantir totalmente a qualidade da água vinda das torneiras, a população também tem que se preocupar com a limpeza do reservatório. A Cagece aconselha que a realização da limpeza e a manutenção da caixa d’água aconteçam a cada seis meses.

Além de ser a substância vital para a vida, a água constitui parte fundamental nos processos metabólicos celulares e participa como substrato de várias reações em nosso organismo nos processos de digestão, absorção, circulação e excreção. O consumo de uma água de qualidade também contribui para o controle de temperatura do corpo e transporte de nutrientes.

 

Entenda os principais parâmetros de análise da Cagece:

 

Cloro residual livre - Consiste no resíduo de cloro deixado na rede de distribuição após o processo de desinfecção da água. É um importante indicador das condições da água, funcionando como barreira contra organismos indesejáveis. De acordo com a Portaria nº 518 do Ministério da Saúde, a água entregue ao consumidor deve apresentar uma concentração mínima de 0,2 mg/L (miligramas por litro) de cloro residual.

 

Turbidez - É causada devido a presença de substâncias em suspensão e indica o grau de transparência da água. Água muito turva dificulta o processo de desinfecção. O Ministério da Saúde exige um valor máximo permitido de 5,0 uT (unidades de turbidez) na água distribuída.

 

Cor - Indica a presença de substâncias naturais coloridas finamente divididas ou dissolvidas, capazes de emprestar a própria cor à água. Trata-se de um parâmetro eminentemente estético. Geralmente não apresenta risco à saúde. O valor máximo permitido na água distribuída é 15,0 uH (unidades de Hazen).

 

Flúor - É um elemento químico normalmente adicionado à água para promover a prevenção da cárie dentária. A concentração deve situar-se entre 0,6 e 0,8 mg/L para o efeito desejado, e de acordo com a Portaria nº 518 do Ministério da Saúde, a água entregue ao consumidor não deve ultrapassar o limite máximo de 1,5 mg/L (miligramas por litro) de flúor.

 

Coliformes totais – Indicam presença de bactérias na água. De acordo com a Portaria nº 518 do Ministério da Saúde, a água entregue ao consumidor deve apresentar o limite mínimo de 95% de ausência de coliformes totais nas amostras coletadas durante o mês.

 

Escherichia coli – Faz parte do grupo coliforme e indica a presença de organismos que podem causar doenças. De acordo com a Portaria 518 do Ministério da Saúde, este microrganismo deve estar ausente na água entregue aos consumidores.

Ler 3750 vezes Última modificação em Terça, 15 Janeiro 2013 15:57