Página Inicial Institucional Comunicação Notícias Fortaleza e interior do estado terão reajuste tarifário

Fortaleza e interior do estado terão reajuste tarifário

Criado em Segunda, 02 Abril 2012 11:08

O reajuste entre em vigor no final de abril. Os clientes continuam pagando 80% do volume faturado da água.


A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) informa que haverá reajuste tarifário para Fortaleza e municípios do interior do estado, onde a empresa possui concessão de operação.

O reajuste foi autorizado pela Autarquia de Regulação, Fiscalização e Controle dos Serviços Públicos de Saneamento Ambiental (Acfor) e Agência de Serviços Públicos Delegados do Estado do Ceará (Arce), O entra em vigor 30 dias após publicação em jornal de grande circulação no estado. Somente em maio a tarifa será cobrada plenamente. Até lá, o repasse será proporcional.

Com a nova política tarifária, a Cagece espera poder diminuir a defasagem entre os valores da arrecadação e os custos operacionais da Companhia. "Como a Cagece está há mais de um ano sem reajuste, o custo da operação teve um acréscimo, resultando numa tarifa inviável, principalmente diante da necessidade crescente de investimentos", confirma João Rodrigues Neto, gerente de mercado e concessões.

Vale lembrar que, atualmente, a tarifa da Cagece é a segunda menor do Brasil, perdendo apenas para o estado do Maranhão, de acordo com dados do Ministério das Cidades, por meio do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (Snis 2009).

Foi autorizada uma revisão de tarifa média de R$ 2,19, representando um aumento médio ponderado de 12,91%. O percentual foi calculado de forma a repor as perdas com o aumento no preço dos insumos no período de 12 meses (jan a dez 2010).

Mesmo com o aumento, o cliente da Cagece continua pagando pelo serviço de esgoto o correspondente a 80% do volume faturado de água. Esta é uma conquista implantada na revisão tarifária anterior, em dezembro de 2010.

A nova estrutura tarifária da Cagece também continua beneficiando a categoria residencial social que permanece pagando pelo consumo real, sem tarifa mínima, com distribuição uniforme do subsídio para um consumo até 10 m3. Para a categoria, os valores pagos poderão variar de R$ 0,69 a R$ 6,90.

A categoria instituições filantrópicas também tem uma tarifa diferenciada, como forma de apoio. Enquadram-se nesta categoria instituições de caráter social, beneficente ou filantrópico mantidas por doações, sem fonte de renda própria.

Os pequenos comércios também são beneficiados com a estrutura tarifária, sendo classificados como "comercial popular". Para eles, a demanda mínima é reduzida, saindo de 10m3 para 7 m3. Desta forma, a Companhia contribui para a sustentabilidade dos pequenos negócios.

Os reajustes por categoria foram, em média, de:

Categoria

Reajuste

Residencial (demanda mínima de 10 m3)

13,66%

Comercial (demanda mínima de 10 m3)

11,06%

Industrial (demanda mínima de 15 m3)

13,08%

Pública (demanda mínima de 15 m3)

10,65%


A categoria residencial social teve reajuste de 6,15%.


Tarifas independentes


A partir deste ano, os clientes da Cagece também pagarão tarifas diferenciadas para água e esgoto. A Companhia levou em consideração os custos específicos de operação para cada um dos serviços (água e esgoto) e passa agora a adotar modelos diferentes para a cobrança.

A Categoria residencial popular e residencial social, que representam atualmente 73,41% dos clientes, continuam pagando o mesmo valor por metro cúbico de água e de esgoto. As demais categorias terão tarifas diferenciadas para água e esgoto.

Ler 2977 vezes Última modificação em Segunda, 02 Abril 2012 12:33