Página Inicial Institucional Comunicação Notícias Mais de 3,5 milhões de cearenses possuem acesso à água fluoretada

Mais de 3,5 milhões de cearenses possuem acesso à água fluoretada

Criado em Terça, 03 Agosto 2010 06:21

Oitenta municípios do Ceará recebem a adição de flúor à água.

     A fluoretação da água de abastecimentopúblico representa uma das principais e mais importantes medidas de saúde pública no controle da cárie dentária. Hoje, a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) proporciona a melhoria da qualidade da saúde bucal de mais de 3,5 milhões de cearenses. A Cagece iniciou, em 1989, a fluoretação em Fortaleza, com adição de fluossilicato de sódio na água da Estação de Tratamento de Água do Açude Gavião - ETA Gavião. Em 1994, outros sistemas operados pela Cagece receberam adição de flúor, como a estação Jaburu, que fornece água fluoretada a sete municípios da Serra de Ibiapaba. Atualmente, 80 municípios recebem o produto.
     Antes de receber o sistema de fluoretação, a Cagece informa os moradores sobre a ação e os conscientiza em relação à qualidade da água e do produto durante o seminário "Fluoretação das águas de abastecimento público", realizado em parceria com o Programa Brasil Sorridente. Gerentes da Companhia e odontólogos informam sobreos benefícios do flúor, tiram dúvidas em relação às propriedades do produto e distribuem material educativo.
     A fluoretação tem como principal benefício aredução de incidência da cárie dentária, principalmente, na populaçãoinfantil, além de fortalecer a estrutura dentária, torna os dentes maisresistentes à ação das bactérias e protege contra o aparecimento decárie.
     A concentração de flúor deve situar-se entre0,6 e 0,8 mg/L (miligramas por litro) para o efeito desejado e, deacordo com a Portaria nº 2914/11 do Ministério da Saúde, a água entregue aoconsumidor não deve ultrapassar o limite máximo de 1,5 mg/L de flúor. A Cagece mantém rigoroso controle da qualidade da água oferecida àpopulação e segue exatamente o que determina a legislação vigente relativa à concentração de flúor para a água tratada e distribuída.
    
Orientação médica
     De acordo com o presidente do Conselho Regional de Odontologia do Ceará, Márlio Ximenes, o flúor é um instrumento fundamental na prevenção de cáries e o seu uso pode ocorrerde várias maneiras, mas sempre visando o cuidado e proteção dosdentes.  "O mais importante nessa fluoretação é que ela seja feita na medida correta, isto é, nem deve trazer flúor demais, pois isso poderia ocasionar uma doença chamada fluorose, nem tampouco deve trazer flúor de menos, o que não permitiria o alcance efetivo da proteção desejada. Por tanto, além de ser implementada, a fluoretação da água deve ser monitorada, a fim de que o teor de flúor seja mantido dentro dos padrões adequados para o controle da cárie e prevenção da fluorose dentária", afirma.
     A fluoretação das águas de abastecimentopúblico, como método de prevenção, é recomendada pela Associação Dentária Americana desde 1950 e pela Organização Mundial da Saúde desde 1969. No Brasil existem a Lei 6.050 e o Decreto 76.872 de 1975, determinando a obrigatoriedade da implantação do método no país, alémde ser apoiada por todas as associações de classe da odontologia brasileira.

Cloro
     Além dos sistemas de fluoretação, a Cagecetambém beneficia os municípios com usinas de cloro. A adição de cloro éusada no tratamento da água que é distribuída à população, sendoconsiderado um importante indicador das condições da água, funcionandocomo barreira contra organismos indesejáveis. De acordo com a Portaria nº 2914/11 do Ministério da Saúde, a água entregue ao consumidor deve apresentar uma concentração mínima de 0,2 mg/L (miligramas por litro) de cloro residual.
     Atualmente, mais de 20 municípios são beneficiados com usinas de cloro: Apuiarés, Aquiraz, Aracoiaba, Baturité, Beberibe, Campos Sales, General Sampaio, Guaiúba, Irauçuba, Paraipaba, Itaiçaba, Maranguape, Nova Jaguaribara, Palhano, Pavuna, Pecém, Potengi, Saboeiro, Sapupara, Sebastião de Abreu e Trairi.
     Nesta semana, o município de Mombaça recebeuma usina de cloro, e em agosto, é a vez de Senador Pompeu. Até o final deste ano, as cidades de Alto Santo, Bonhu, Canoa Quebrada, Ererê e Pereiro também serão contempladas.

Sistemas de abastecimento de água com flúor
Acarape, Acopiara, Amanari, Antônio Diogo, Aquiraz, Aracoiaba, Barreira, Baturité, Beberibe, Capistrano, Caridade, Cariús, Choro, Chorozinho, Coreaú, Ema, Eusébio, Fortaleza, Flores, General Sampaio, Guaiúba, Groaíras, Guassussê (Distrito De Orós), Horizonte, Ipaguassu,Mirim, Iracema, Irauçuba, Itaiçaba, Itaitinga, Itapipoca, Itapiúna,Itarema, Jaguaretama, Jaguaruana, Jardim São José, Maranguape, Massapé, Meruoca, Miraíma, Mombaça, Moraújo, Mucambo, Mumbaba, Nova Jaguaribara,Ocara, Pacajus, Pacatuba, Pacujá, Palhano, Paracuru, Paraipaba, Paramoti, Pavuna, Pecém, Pedras, Pentecoste, Pereiro, Piquet Carneiro,Potiretama, Quixadá, Redenção, Santa Quitéria, São Gonçalo Do Amarante,São Joaquim, São Luis Do Curu, Sapupara, Sebastião De Abreu, Senador, Senador Sá, Tabuleiro Do Norte, Tapuiará, Tauá, Tejuçuoca, Trairi, Umirim, Uruburetama, Uruoca, Várzea da Volta e Vazantes.

Ler 4024 vezes Última modificação em Terça, 14 Junho 2016 12:00