Página Inicial Institucional Comunicação Notícias Tecnologia monitora pressão nas redes e adutoras de água

Tecnologia monitora pressão nas redes e adutoras de água

Criado em Segunda, 16 Junho 2014 00:00

Os equipamentos são instalados em pontos críticos de baixa ou de alta pressão nas redes.

 

A Cagece está ampliando a utilização de uma tecnologia de monitoramento de pressões no sistema de água. As Estações Piezométricas (EPZs), que usam um sistema de telemetria, são utilizadas desde 2008, mas agora terão sua atuação ampliada inclusive para adutoras. A tecnologia permite monitorar a pressão do sistema de distribuição de água, evitando baixas pressões, quebra de tubulações e possíveis vazamentos por aumento da pressão.

 

As estações fazem o gerenciamento da pressão, garantindo o equilíbrio do sistema com pressões suficientes e evitando que haja perdas de água no sistema.

 

Encontra-se em fase de implantação um projeto piloto para instalação de EPZs em adutoras. A ideia é estudar a viabilidade da utilização desse tipo de sistema, principalmente em adutoras no interior do Estado, visto que a tecnologia empregada por ele é de mais fácil instalação, pois usa comunicação via celular. O projeto implantou três EPZs na grande linha de reforço da Messejana, onde ainda não consta o monitoramento do Centro de Controle Operacional (Cecop).

 

Além disso, abrange outras seis EPZs, sendo duas na adutora de Itapipoca, uma no Distrito de Medição e Controle (DMC) da Unidade Leste em Fortaleza, uma na Universidade Federal do Ceará (UFC – Campus do Pici), com monitoramento da rede pela Unidade Oeste de Fortaleza, e outras duas serão instaladas na adutora de Barroquinha-Chaval.

 

Recentemente, foram reativadas 13 estações na zona Sul de Fortaleza. Ao todo, são 50 estações ativas, espalhadas pelas Unidades de Negócios da capital e do interior. As estações permitem que as Unidades monitorem remotamente a pressão nas redes de distribuição de água, proporcionando um melhor controle de pressão e evitando vazamentos. O acompanhamento é diário, praticamente em tempo real por sinal telemétrico GPRS, de celular.

 

 

Outra forma de controle é o Cecop em Fortaleza, que existe desde 1998. Criado com a finalidade de monitorar e operar todo o macrossistema de distribuição de água da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF),hoje, completamente automatizado. O Cecop realiza este controle, através de computadores conectados a sensores inteligentes que identificam quaisquer ocorrências no sistema em tempo real, com dados precisos, permitindo uma ação imediata da Empresa. Através da tela dos computadores do Centro e das Unidades de Transmissão Remota (UTR), os técnicos acessam dados como vazão e pressão nas redes, nível dos reservatórios, percentual de cloro, execução de manobras, ligar e desligar elevatórias ou fechar e abrir registros que antes da automação precisavam da força de dois ou três operadores para manuseá-los com mais de duzentas voltas.

Ler 2485 vezes Última modificação em Segunda, 16 Junho 2014 17:09